15 Nov 19

Gostaria de aplicar o TRASH COOKING no seu bar ou restaurante para poupar nas suas faturas e triunfar com os seus clientes? Continue a ler! | Street Lovers

Adira à revolução do trash cooking: aproveite ao máximo os alimentos para poupar no seu bar ou restaurante e cuidar do meio ambiente

Sabia que quando falamos de trash cooking simplesmente referimo-nos a saber como reutilizar os alimentos que sobram? Gostaria de saber mais sobre esta tendência tão prática, ecológica e económica para a aplicar ao seu bar ou restaurante? Se a resposta for sim, está no sítio certo!

Quando cozinhamos geram-se muitos resíduos orgânicos: caules e folhas de hortaliças, cascas de frutas, recortes de carnes, vísceras de animais... Calcula-se que atualmente os resíduos orgânicos representam aproximadamente 40% do lixo que geramos. Em média, num país europeu 25% da comida termina no lixo; uma comida que muitas vezes não chegou nem a sair da sua embalagem. Segundo este estudo da ONU para a Alimentação e a Agricultura (FAO), cada ano desperdiçam-se mundialmente 1300 milhões de toneladas de alimentos; um terço dos alimentos que são produzidos em todo o mundo.

Aqui é onde entra em jogo o trash cooking ou cozinha do aproveitamento: a arte de saber reutilizar os alimentos que sobram. Algo que pode soar muito moderno, mas que como noutros artigos comentados aqui, trata-se de uma tendência que recupera e inova algo que já as nossas avós faziam. Por exemplo, algumas das receitas que as nossas avós faziam para aproveitar ao máximo os alimentos que sobravam eram a sopa de pão com cebola, com pão duro do outro dia e os croquetes ou os canelones para dar uma segunda vida à carne que tinha sobrado de algum cozido ou estufado. Numa economia de pós-guerra com poucos recursos era lógico tentar aproveitar ao máximo toda a comida. Agora, após um período de bonança económica no qual não se teve em conta este aproveitamento, voltamos a recuperar este amor pela comida por uma questão de ambientalismo, sustentabilidade e por respeito ao nosso meio envolvente e às futuras gerações. Embora para nós a comida não seja um problema, hoje em dia a fome afeta mais de mil milhões de pessoas. É por isso, que em todo o processo produtivo e de consumo é de vital importância minimizar os resíduos e saber como reaproveitar os resíduos existentes; uma tendência gastronómica praticada atualmente por grandes chefes de todo o mundo.

Para além disso, sabia que em muitas ocasiões, o que se costuma deitar fora dos alimentos é precisamente onde se encontram mais nutrientes? Assim sendo, com o trash cooking não só estará a poupar e a cuidar dos recursos e do meio ambiente, como também estará a cuidar da saúde dos seus clientes.

Aprenda a aproveitar ao máximo os resíduos orgânicos e pratique o trash cooking

Aqui tem uns práticos conselhos deEl Confidencial para saber como poderá reaproveitar melhor os seus resíduos orgânicos:

Fruta madura: uma boa forma de dar uma segunda vida à fruta madura é elaborar deliciosos e nutritivos batidos e smoothies ou compotas para o pequeno-almoço. Uma forma fácil e rápida de aproveitar tudo o que é bom da fruta. As crianças adoram!

Hortaliças: as cascas de algumas hortaliças são ideais para serem servidas como aperitivo ou como guarnição de pratos e saladas. Basta salteá-las numa frigideira, com alho e salsa, até ficarem douradas e estaladiças. Sabia que com a casca da curgete pode preparar um delicioso esparguete de curgete ou Zoodles? Um prato de “pasta” rico e saudável com muitos nutrientes e poucas calorias.                                                                                                                 

Queijos: os restos de queijo duro, que costumam ser deitados no lixo, podem ser fervidos em leite até começarem a amolecer e a soltar alguma gordura, para poderem ser reaproveitados para outros usos. O leite, com o qual se ferveu o queijo, poderá ser utilizado para elaborar um saboroso puré de batata ou para preparar uma deliciosa massa de uma pizza.                                                                                                                   

Citrinos: a sua casca é ideal para caramelizar o açúcar, potenciar sobremesas e produtos de confeitaria e inclusive para aromatizar infusões e dar um toque especial ao azeite.

Carnes: os restos de carne costumam ser aproveitados para elaborar caldos, acompanhar pratos de massa e arroz, assim como para preparar salteados, croquetes e canelones. Outra alternativa para aproveitar a pele das aves é prepará-la em tempura ou tostá-la e triturá-la; desta forma adquirem-se texturas diferentes que podem funcionar na perfeição como guarnição ou como condimento para saladas, substituindo o pão ralado.

Peixe: as cabeças e espinhas dos peixes são ideais para preparar nutritivos e deliciosos caldos fumets, que depois poderemos utilizar para elaborar sopas e molhos. Os chiscos de alguns peixes como o salmão, por exemplo, são perfeitos para decorar e dar um toque de sabor às saladas.                                                                                                 

As possibilidades são infinitas! Aqui tem mais exemplos de como dar uma segunda oportunidade aos seus resíduos orgânicos.

Uma receita trash cooking para o seu bar ou restaurante, que será um verdadeiro êxito!

E para Trash Cooking ou cozinha do aproveitamento, a nova Ciabattina Trash da Vandemoortele. Uma receita elaborada com a Ciabattina di grano duro: uma pequena chapata à base de farinha e sêmola de trigo, apta para vegetarianos e veganos, acompanhada de almondegas com molho de tomate, pinhões, queijo parmesano, cebolinha verde e folhas de cenoura. Uma deliciosa combinação para que aproveite ao máximo os resíduos orgânicos, poupe nas suas faturas e cuide do meio ambiente.                                                                                                                                         

Por isso, pense que alimentos utiliza e não aproveita a 100%, ponha a imaginação a funcionar e crie as suas próprias receitas trash cooking.

Por um mundo melhor, Street Lovers!

Receita Ciabattina Trash

 

Sobre a Vandemoortele

A Vandemoortele foi fundada em 1899 como uma empresa familiar belga e continuou a crescer e desenvolver desde então. Nas últimas duas décadas, tornamo-nos uma empresa de alimentos europeia com posições de liderança em duas categorias de produtos: Produtos de padaria (BP) e Margarinas, óleos e gorduras culinários (MCOF). Somos reconhecidos pelo fornecimento de produtos inovadores e de alta qualidade.

Em 2021, a Vandemoortele faturou cerca de 1,3 mil milhões de euros com 4.800 colaboradores (permanentes e temporários). A sede do Grupo Vandemoortele está situada em Gante, Bélgica. Temos escritórios comerciais em 12 países europeus, assim como nos Estados Unidos. Operamos em mais de 28 unidades de produção de alta qualidade em toda a Europa, para garantir a proximidade a todos os nossos principais mercados. Exportamos da Europa para 95 países em todo o mundo.

Contato Noticias

Marc Croonen
marc.croonen@vandemoortele.com